A cobertura Brasileira

Apesar de estar feliz com poder aproveitar um pouco dos luxos do Estados Unidos, existem elementos da Cultura brasileira que eu sinto falta.

Sim, é super normal eu bater cabeça com algumas das regras sociais Brasileiras. Por mais que que me sinta como um peixe fora d’água quando estou no Brasil, eu ainda tenho muita dificuldade de me re-ajustar a vida nos Estados Unido. Eu não gosto de chamar de choque cultural reverso porque eu me sinto 100% confortavel com ser Americana. Entretanto, com a quantidade de viagens, eu sou lembrada de quanto eu mudei no meu tempo longe.

1. A tranquilidade. “Tranquilo.” “Calma.” “Relaxa.” são palavras que que eu acho que fazem efeito em mim; quando eu estou nervosa, eu acho que que eles são um bom sinal para e deixas as coisas seguirem o seu ritmo. Uma afirmação verbal de que ninguem tem tem nenhum expectativa nesse momento, então não se estresse dessa forma.

Se alguem me falar para Relaxar em Nova Jersey, é mais facil eu relação minha mão na cara dessa pessoa. Todo mundo quer algo feito e tem sua atenção em mil coisas diferentes. Qualquer coisa que eu esteja fazendo para alguem eu sei que isso é uma parte crítica do dia dela. Não existe tempo para relaxar quando você tem uma lista de afazeres do tamanho do seu braço, e a expectativa cultural faz com que você deixe de lado dias de bom sono para fazer o que precisa ser feito.

É extremamente cansativo.

2. Positivismo corporal. O Brasil tem uma obsessão com cirurgias plásticas e procedimentos estéticos que me induz uma raiva de outro mundo. Contudo, não é de tudo ruim. Mesmo que a minha sensibilidade em relaçao a padrões de belesa esteja no máximo, existe uma certa tranquilidade quanto a imagem corporal no Brasil.

No Rio, eu tenho certeza que é causado pelo extremo calor. Eu quero dizer, quem tem tempo para ficar pensando se o seu Biquini cobre as partes problema quando está 45 graus? Mesmo que as pessoas falem de forma extremamente aberta sobre quem ganhou, ou perdeu peso, eu vejo mais mulheres indo comprar roupas para o seu corpo atual e para mostrar as partes que elas gostam em si neste momento. Tem muito menos de “Eu vou usar isso quando eu tiver com X quilos”, e mais de “Eu vou usar isso agora, porque eu acho que eu fico bonita e isso me faz me sentir bem”.

Quando eu uso um dos meus biquines nos Estados Unidos – que pelos padrões brasileiros, são extremamente tranquilos – eu percebo um julgamento maior e alguns olhares estranhos. Pode ser porque acham que o meu biquini é muito pequeno, eu sou muito grande, ou muito musculosa, eu nao sei. Sei que no Brasil a única coisa que as pessoas realmente olham quando eu estou em um biquini é se estou me divertindo e se estou segurando uma cerveja.

3. O social. Quando eu fui para o Crossfit no outro dia, era um dia de Academia Aberta e eu entrei em panico que eu esqueci meus headphones. “E se eu precisar focar, e alguem quiser conversar?” Os headphones são o meu sinal de “Agora não, estou focada!”.

Ai eu lembrei que eu estava no Estados Unidos e literalmente ninguém tinha falado comigo a não ser o professor. Quando foi a última vez que isso aconteceu?

O Gustavo sempre da risada de mim porque quando vamos à academia, o primeiro instinto dele é ir falar Oi para TODO MUNDO enquanto eu prefiro ficar no meu canto, organizando minhas coisas e focando no que eu preciso fazer em seguida. Quando eu estava fazendo um treino extra alem da aula de Crossfit, eu muitas vezes fazia um treino toda sozinha enquanto o Gustavo conversando com algumas pessoas ou fazendo um treino junto das pessoas.

90% do tempo, eu acho socializar algo que me deixa sobrecarregada. O processo de tradução do Português para o Inglês o dia inteiro é trabalho mental suficiente para mim. Contudo, eu sinto falta da informalidade das interações e de que as pessoas assumem que você tem interesse em conversar. É algo que com certeza não é natural para mim mas realmente adiciona um toque pessoal no dia-a-dia.

Para descrever as diferenças em uma palavra simples, o Brasil é mais tranquilo. Mesmo que muitas vezes pode ser extremamente frustrante, é muito reassegurador. A vida segue um ritmo mais relaxado e muito mais acessível. A grande maioria dos Brasileiros(as) são um livro aberto, nada a esconder e tudo a ganhar. Por mais que eu tente fugir disso, é uma caracteristica eu que eu aprendi a gostar, pois o que isso mais faz é contruir pontes entre as pessoas.

Leave a Reply