Como Tirar um CPF Como Um Estrangeiro no Brasil

Todo mundo sabe que o Brasil é um modelo de burocracia. Então, não é uma surpresa que o país ama o CPF: cadastro de pessoa física. O CPF é tipo número de “social security” nos Estados Unidos; basicamente, um modo de identificar cada pessoa física no Brasil. Diferente do “social security,” o CPF não é privado. É utilizado com muito frequência e publicamente, para registrar documentos até fazer compras online e nas lojas físicas.

A primeira vez que eu precisava de um CPF era quando queria comprar algumas roupas de uma pessoa que eu achei no Instagram. (Isso é uma história para um outro tempo — comprando roupas via Whatsapp. Que isso?!) Depois, quando eu e o Gustavo decidimos aplicar para meu visto, eu sabia que tirando meu CPF será meu primeiro passo de muito na burocracia brasileira.

Infelizmente, não é somente que sou americana, não. Além disso, sou de Nova Jersey — ou seja, não tenho paciência nenhuma, especificamente quando os processos são complicados e demorados sem razão. Gente, TENHO COISAS PARA FAZER NA MINHA VIDA. Esse atitude? É a primeiro regra enquanto “Como não te conduzir no Brasil.”

Você pode tentar mil vezes, mais não conseguirá achar todos essas étapas online. Toda a informação que eu achei era de outros blogueiros. Toda a informação que achei no Brasil era dos cartórios e correios. Apesar do uso das redes sociais no Brasil, em muitos aspetos, o internet está no começo aqui.

  • Achar um escritório de Correios perto de você e perguntar como tirar um CPF. Pode explicar que você é estrangeiro(a) e que você está aplicando para um novo CPF. O custo é barato (BRL$7) e depois de pagar, eles vão te dar um recibo. Não perca esse recibo! Vai precisá-lo mais tarde.
  • Achar um tradutor juramentado(a) para traduzir qualquer documento estrangeiro. Para mim, precisei de um tradução do meu passaporte. Pode achar um pesquisado “tradução juramentada [sua idioma]” no Google. A maioria dos tradutores não tem e-mail ou sites e provavelmente você precisará telefonar para eles. Custo: BRL$150.
  • Quando as traduções são completas, traga seus documentos originais para pegá-los do tradutor. Por que é uma tradução juramentada, o tradutor precisará verificar os documentos originais também.
  • Depois, trazer seus documentos traduzidos (e os originais, só por precaução) ao um cartório onde o tradutor é reconhecido. O cartório vai marcar seus papeis para dizer que o tradutor é reconhecido para esse cartório. No processo, você vai ver muitas coisas reconhecidas. Isso significa que o tradutor/oficial/assinatura é registrado e verificado nesse cartório e é verificado. Custo: BRL$7 por cada documento.
  • Registrar seus documentos (no Rio, faz isso no Cartório do 6º Ofício de Registro de Títulos e Documentos, Edifício das Finanças, R. do Carmo, 57). Com o registro de um documento, significa que o estado reconhece a autenticação de cada documento. Para registrá-los, apresentar a tradução autenticada e o documento original, além de uma copia do documento. Para seu passaporte, traga duas copias porque eles não podem manter o original para o processo de registro. Esse processo normalmente leva 24 horas porque os documentos devem ser autenticada em frente de um júri. Custo: BRL$300 por cada página, incluíndo a tradução.
  • Depois de pegar seu documento registrado, vai para uma Receita Federal com a tradução registrada de seu passaporte e o recibo original de Correios. Aqui, eles emitirão seu CPF. Não fique muito animado — é somente um papel impresso 🙂

É voila! É isso. Para mim, levou quasi duas semanas mas, como disse eu, é porque sou de Nova Jersey e eu coagia o Gustavo cada dia para verificar o progresso do processo. Não é que ele fala muito melhor do que eu, mas que ele sabe como falar com as pessoas sem parecer impaciente como eu. Na verdade, me considero muito educada, mas as vezes minha cara revela meus frustrações.

Uma dica: quando você está ao seu cartório local, abre uma firma reconhecida. Ao meu cartório, precisei da aberatura de firma, que é o registro de sua assinatura nesse cartório. Você preencherá algumas formas e assinará um papel. Depois, o cartório vai registrar essa assinatura como uma firma reconhecida para esse cartório mesmo. Recomendo registrar sua firma num cartório perto de você especificamente porque você precisará dessa firma por muitos, muitos documentos no futuro.

Leave a Reply